Cantor migrando para o Phabricator: que ferramentas nossos contribuidores devem usar

Projetos e softwares desenvolvidos pela comunidade KDE estão migrando para uma nova ferramenta que irá gerenciar nossos códigos, commits, revisões, tarefas, e mais. Esta ferramenta é o Phabricator e você pode visitar a instância dela para os projetos do KDE neste endereço.

Desde novembro de 2015 estamos migrando o Cantor para o Phabricator. Após nossa primeira revisão de código finalizada com sucesso alguns dias atrás, decidi escrever um post sobre que ferramentas nossos contribuidores devem utilizar enquanto o processo de migração não é finalizado.

Projeto

Phabricator tem uma aplicação para gerenciamento de projetos onde podemos colocar algumas informações úteis e coordenar a execução de tarefas. A página de projeto do Cantor está online e configurada.

Outra interessante funcionalidade é a possibilidade de ingressar em um projeto ou apenas acompanhar suas atividades. Se você tiver uma KDE Identity, faça o login no KDE Phabricator e siga-nos!

Workboard

O KDE oferece uma aplicação para gerenciamento da execução de tarefas utilizando um quadro estilo kanban, o KDE TODO. Apesar dela ser uma excelente ferramenta, nós nunca a utilizamos para o Cantor.

A aplicação Projects no Phabricator tem uma funcionalidade com este mesmo objetivo, o Workboard. Atualmente a estamos utilizando para acompanhar as tarefas do estudante Fernando Telles durante o SoK. A partir dessa experiência, pretendo utilizar o Workboard para gerenciar o desenvolvimento do Cantor.

Tarefas, bugs, desejos

A aplicação do Phabricator chamada Maniphest é uma ferramenta para criação e acompanhamento de bugs, tarefas e desejos (sugestões de funcionalidades).

Entretanto no KDE temos um Bugzilla pesadamente customizado, fazendo com que para o momento não tenhamos uma decisão sobre como migrar nossa ferramenta de relatórios de bugs.

Portanto, KDE Bugzilla ainda é nossa ferramenta para relatórios de bugs. Apesar disso, convido os contribuidores para que usem o Maniphest para submissão de desejos de novas funcionalidades. Nós nunca utilizamos o Bugzilla para este último objetivo, então não haverá problemas se começarmos a utilizar essa nova ferramenta para isso.

Repositório

A exemplo da maioria dos projetos do KDE, Cantor tem seu código fonte gerenciado pelo git. Phabricator tem uma aplicação chamada Diffusion que permite navegar e ver uma variedade de dados a partir de um repositório de código fonte.

Esta aplicação está configurada para o Cantor e pode ser visitada neste link.

Revisão de código

A aplicação do Phabricator para revisão de código é chamada Differential e também está disponível para o Cantor.

Entretanto ainda não há uma decisão sobre a migração definitiva e desativação da ferramenta atual de revisão de código usada pelo KDE, o Reviewboard. Portanto, nossos colaboradores podem utilizar uma ou outra ferramenta (mas por favor nunca as duas ao mesmo tempo!). Ainda assim, fica a recomendação para que deem prioridade e comecem a utilizar o Differential.

Wiki

Sim, Phabricator também tem sua própria aplicação para páginas wiki, chamada Phriction. Atualmente o Cantor só tem uma página na wiki Userbase. Como nós não utilizamos wiki no momento, só decidiremos se iremos utilizar o Phriction em algum momento no futuro.

Comunicação

Ok, o Phabricator também tem uma ferramenta própria para comunicação, Conpherence. Entretanto, os colaboradores do Cantor devem continuar a usar nossas atuais ferramentas de comunicação providas pelo KDE Edu, o canal IRC #kde-edu na rede Freenode e a  lista de e-mail do KDE Edu.

Apesar de eu ter algumas críticas sobre o Phabricator (por exemplo, eu não gosto da arquitetura Aplicações -> Projeto; prefiro Projeto -> Aplicações), ela é uma ferramenta muito interessante para o gerenciamento de projetos e tem uma ampla gama de aplicações para trabalhos específicos. Neste texto eu listei várias delas, mas ainda há muitas outras para serem exploradas e avaliadas.

Espero que este post possa ajudar os colaboradores do Cantor sobre qual ferramenta deve ser utilizada para desempenhar algum trabalho do projeto. Talvez o texto também sirva para apresentar algumas novidades para futuros usuários do Phabricator e ajude desenvolvedores do KDE durante o processo de migração. Por último, principalmente para o público de não colaboradores, o texto apresenta algumas das ferramentas que usamos no KDE.

O impacto do Phabricator na comunidade KDE é algo que deverá ser analisado no futuro próximo. Essa ferramenta e suas diversas aplicações poderão mudar consideravelmente como os subprojetos no KDE são organizados. Vamos ver o que o futuro revelará para nós.

Perspectivas de passatempos para 2016

Bom antes de falar sobre 2016, vamos relembrar um pouco 2015?

O ano que passou foi bem especial para mim. Fui pai pela primeira vez aos 38 anos. Pai de uma bela garotinha chamada Eloá. Espero ter energia para criá-la e cuidá-la como deve ser cuidada alguém que colocamos no mundo.

Sou uma pessoa com poucas ambições. Pode ser um defeito. Tenho apenas um trabalho, ao qual dedico um terço do dia e o resto do tempo fico em casa, me dedicando à minha esposa (e agora à minha filha), à casa, e aos meus passatempos.

Por falar em passatempos, em 2015, vi um novo despertar do RPG em minha vida. Veio de carona, de certa forma, com os board games. Esse é um passatempo recente em minha, se deixarmos de considerar o xadrez que, acho, está em outro nível. Em 2014, acho que joguei mais vezes jogos de tabuleiro que em 2015, ao mesmo tempo que retomava o RPG devagarzinho. No ano passado foi diferente. Joguei menos tabuleiros e me dediquei a ler, comprar, jogar e publicar coisas sobre RPG (você pode encontrar o que escrevi sobre esse passatempo no blog Jogatinas em Teresina, ex-De Olho em Jogos de Tabuleiro).

Com o nascimento de minha filha, parei de jogar RPG e quase não apareci nas jogatinas de jogos de tabuleiro. Ainda assim, continuei lendo bastante. Minha meta é continuar fazendo isso em 2016. E jogar um pouco. Convidar amigos para algumas pequenas aventuras, apresentar e conhecer novos jogos. Na prática, veremos como isso se dará.

Tomei outra decisão, acho que entre o Natal e o Ano Novo, sei lá. Jogar o jogo de miniaturas Star Wars X-Wing. Foi culpa do filme. Quer dizer, não só isso. Foi ver que um grupo razoável de pessoas o está jogando. Passei um tempo jogando o card game Vampire: The Eternal Struggle com o grupo limitado de pessoas, na maioria das vezes apenas quatro ou cinco jogadores. Senti falta de um maior leque de adversários. Diferente do xadrez e do Magic: The Gathering (mas esse não volto mais a jogar, por favor), onde havia vários jogadores. Outro fator: o jogo é lindo.

Por conta do X-Wing, jogarei menos outros jogos de tabuleiro. Meu tempo será bem curto para as jogatinas realmente.

Ler livros de ficção teve uma queda bem grande em relação à uma boa parte de minha vida. Li menos. Até hoje estou por terminar Shogun de James Clavell. Guerra e Paz, então, nem se fala. Tem sagas que não continuei: Crônicas Saxônicas (parei no sexto livro), trilogia A Passagem (li apenas o primeiro), 1Q84 (li os dois primeiros, falta o último). Tem Musashi também. Bom, são vários. Um passo de cada vez, vamos terminar Shogun que tá uma leitura bem agradável.

2015 foi o ano das séries para mim. Netflix ajudou muito nisso. Esse ano deve seguir num ritmo parecido.

Programar foi o passatempo que ficou relegado à poeira e às traças. Tem meses que não escrevo uma linha de código em Python, minha linguagem de programação favorita. Se um ideia que eu tenho da cabeça for para as linhas de código, então 2016, teremos a volta desse maravilhoso passatempo.

Então, para 2016 temos as seguintes coisas:

  • Participar dos cuidados e da criação da Eloá;
  • Terminar os livros e séries que comecei;
  • Narrar e jogar algumas aventuras de RPG;
  • Participar do grupo de X-Wing da cidade;
  • Assistir algumas séries;
  • Escrever uma aplicação que tenho em mente;
  • Manter as atualizações de notícias do grupo do Facebook Teresina Jogos de Mesa;
  • Escrever para o blog Jogatinas em Teresina;
  • Escrever esporadicamente neste blog;

Concluo dizendo que essas coisas a fazer é uma meta e que, ao final do ano, saberemos como se deu. Seja bem vindo Ano Novo.

Convite para defesa da minha tese

IMG_20151109_085736

Após 5 anos (mestrado + doutorado) de muito trabalho e altas confusões, é chegada a hora de colocar em prova tudo que pesquisei nesse tempo.

Minha tese é uma continuação direta da minha dissertação de mestrado e trata da utilização de sistemas multiagentes e diferentes técnicas de inteligência artificial para modelar e implementar funcionalidades para os smart grids, as redes elétricas inteligentes, no nível da distribuição de energia. A escolha pelo uso de sistemas multiagentes é baseada na conceituação dos smart grids como um grande sistema distribuído.

A maior parte das pesquisas presentes na tese já foram publicadas, como o método para minimização das perdas elétricas apresentado na conferência IJCNN, ou a técnica para classificação de cargas não-lineares, disponível no periódico Neurocomputing. Apesar desses exemplos, por enquanto ainda há material inédito no texto do trabalho.

A defesa será em sessão pública, como de costume, e quem quiser assistir é só aparecer. Preparei esse arquivo de calendário com maiores informações caso queira adicionar à sua agenda.

Após a defesa adicionarei os slides da apresentação nesse post. Quanto ao texto em si, disponibilizarei o link da versão final apenas quando a mesma for publicada no Repositório Digital de Teses e Dissertações da USP.

Desejem-me sorte! 😀

[Update 27 de novembro de 2015] Foi tudo bem com a defesa, deu tudo certo! \o/

A banca foi excelente. Formada por grandes especialistas em suas respectivas áreas, os professores realizaram críticas e sugestões muito pertinentes, que com certeza incrementará a qualidade da versão final da tese.

Da esquerda para a direita: Walmir Freitas (FEEC – UNICAMP), Denis Coury (EESC – USP), Eduardo Asada (orientador; EESC – USP), eu, Jaime Sichman (POLI – USP) e Nelson Kagan (POLI – USP)

E segue abaixo a apresentação utilizada.

Hello Planet THC!

O THC no título bem poderia ser uma alusão à cultura canábica, mas na verdade é a sigla para Teresina Hacker Clube – um “laboratório comunitário” sediado em Teresina, capital piauiense, tocado pelos mais diversos adeptos da cultura hacker com suporte da APISoL.

O THC nasceu por volta de março de 2014, diretamente inspirado pelo movimento de hackerspaces que nos últimos anos ganhou força no Brasil e no mundo. Apesar de recente quando comparado a outros hackerspaces brasileiros como o Garoa, o THC já fez algum barulho através de projetos como o Peba, indexador de gastos da Câmara Federal, ou o Mão Amiga, que pretende produzir uma prótese funcional de mão criada via impressora 3D.

Sob o escaldante sol teresinense, que inspirou o belo emblema do grupo, diversas outras iniciativas e atividades são tocadas pelos participantes do THC. Além dos projetos citados há outros mais, bem como eventos relacionados ao software livre (como o Debian Day e o Software Freedom Day), dados abertos (Open Data Day), cultura hacker (recentemente fizeram parte do evento em rede homenageando Aaron Swartz), até atividades menos voltadas à computação, como observações astronômicas. Eu mesmo já fiz um bate-papo lá sobre contribuições com grandes comunidades de software livre.

Para quem mora em Teresina fica a dica para visitar a sede física do THC, ali por trás da biblioteca do Fripisa. Mas fique ligado no site para saber que dia haverá atividades por lá.

Para quem mora fora, a ideia é acompanhar o recém criado Planet THC, um agregador de blogs dos participantes e simpatizantes do grupo, ou adicionar o canal do THC no Telegram.

Happy hacking!

Cantor: novo release em dezembro

cantor-backendselection

Diálogo de seleção de backends no Cantor

Cantor, o ambiente de programação científica inspirado no conceito de notebooks, está com o lançamento de uma nova versão programada para ocorrer junto com o KDE Applications 15.12 em dezembro.

A funcionalidade mais importante nesse futuro release será a remoção da dependência do KDELibs4Support. O Cantor teve um port inicial para Qt5/KF5 lançado com o KDE Applications 15.04 em abril, mas aquela versão ainda usava o KDELibs4Support. Porém, agora essa é uma história que ficou no passado. Atualmente, o código fonte no branch master do repositório do Cantor já pode ser compilado sem KDELibs4Support. Espero que isso signifique um importante passo para o port do software para outros sistemas operacionais.

Nas semanas seguintes irei fazer uma triagem nos relatórios de bugs para verificar quais ainda estão presentes na atual versão. Vamos trabalhar duro e investir bastante energia para termos uma ótima nova versão!

Se você puder ajudar nesse desenvolvimento, sinta-se convidado para se juntar a mim nesta tarefa.

Caso aprecie meu trabalho com o Cantor, você pode demonstrar seu apoio fazendo uma doação diretamente para mim. Ou considere fazer uma doação para a comunidade KDE – desta forma você estará apoiando as melhorias desenvolvidas para o desktop, aplicações, bibliotecas, e para a infraestrutura fornecida pelo KDE para os mais variados projetos de software livre. Há uma campanha de crowdfunding acontecendo até dia 30 de setembro e uma página de doações sempre disponível.

E Feliz dia da Liberdade do Software!

(Happy Software Freedom Day!)

Escrevendo Ciência com Software Livre

No Fórum Internacional de Software Livre (FISL) desse ano apresentei uma palestra interessante para aqueles que trabalham com pesquisa em geral. Falei sobre alguns softwares livres utilizados naquilo que os pesquisadores, não importando qual área estejam trabalhando, mais fazem: ler e escrever.

scientific-method

Konqi – o mascote do KDE – explica uma versão do método científico

Seja das humanidades, seja das exatas, das ciências da vida, ou das artes, pesquisadores irão dedicar boa parte do seu tempo de trabalho lendo textos – sejam artigos, livros, teses, e mais -, gerenciando esses textos e as informações coletadas a partir deles – como fichamentos – e escrevendo novos textos científicos, alimentando a cadeia formal de produção e divulgação de ciência.

Para isso a comunidade de desenvolvedores de software livre KDE disponibiliza três softwares muito interessantes, que cobrem as etapas comentadas acima:

  • Okular – um leitor universal de documentos (lê PDF, ePub, txt, ODF, OOXML, e mais) que permite fazer anotações seguindo o padrão PDF;
  • Kile – um editor LaTeX que conta com modelos, destaque de sintaxe, complementação de código, e muitos assistentes para inserção de figuras, criação de tabelas, e outros;
  • Kbibtex – um gerenciador de referências que permite organizar a base de informações da sua pesquisa, relacionar entradas bibtex com arquivos de diversos tipos, fazer buscas em vários repositórios de referências sobre temas e autores, entre outras.

anotacoes_okular

Exemplo de anotações com Okular

Na palestra introduzi algumas informações sobre a comunidade KDE, sobre ciência e software livre, e em seguida passei a falar de cada software, fazendo demonstrações das diversas funcionalidades presentes neles.

Se você não compareceu ao FISL e ficou interessado nessa apresentação, sem problemas! Os slides que utilizei estão logo abaixo. Mas a melhor parte é que é possível conferir as demonstrações das funcionalidades dos softwares, porque a palestra foi filmada! O vídeo com pouco mais de 30 minutos está mais abaixo.

Os slides:

O vídeo:

Espero que gostem das informações aí apresentadas e fiquem a vontade para enviar qualquer dúvida, seja pelos comentários aqui do post, ou via meu e-mail em filipe at kde.org.

LaKademy 2015 – meu sprint do Cantor e outros trabalhos

De 3 à 6 de junho o KDE Brasil voltou à Salvador/Bahia para realizar o KDE Latin America Summit 2015 – ou, usando o nome mais bacana, LaKademy 2015.

Aracele já escreveu sobre como o KDE Brasil teve início. É inevitável não pensar aquilo quando falamos sobre KDE e Bahia ao mesmo tempo. KDE tem colaboradores no Brasil e na América Latina em geral desde muitos e muitos anos atrás (KDHelio está aqui para nos lembrar 😉 ) mas o moderno KDE Brasil, orientado à comunidade, com presença contínua nas principais conferências sobre software livre no Brasil, com diversos desenvolvedores, tradutores, e mais, nasceu na Bahia a partir do trabalho do grupo Live Blue – Sandro e Tomaz. Portanto, viajar à Bahia não é apenas uma jornada ao local de nascimento do Brasil moderno – é também uma viagem ao local de nascimento do moderno KDE Brasil.

Meu principal trabalho no LaKademy 2015 foi terminar o port do Cantor para Qt5/KF5. Eu iniciei essa tarefa no LaKademy anterior, e agora foi o momento de terminá-la. Durante o evento me foquei principalmente na remoção do KDELibs4Support. Durante o sprint abri 5 review requests, um para cada biblioteca removida. Agora estou terminando o mecanismo de carregamento de plugins e o trabalho estará terminado.

Mas esta não foi minha única atividade realizada. Durante o evento tivemos alguns projetores para apresentar palestras e material relacionado com contribuição para software livre. Apresentei o processo de revisão de código para os participantes e como submeter requisições de revisão. Isso foi realmente interessante para os novatos.

“Huumm… vamos compilar esse patch e ver o que acontece.”

Colocar diferentes contribuidores e novatos juntos é um momento interessante para troca de dicas e tirar dúvidas sobre diversos aspectos relacionados com contribuição. É interessante ver as diferentes distribuições Linux utilizadas por cada desenvolvedor, como cada um configura seu ambiente de desenvolvimento, e mais. É também um momento legal para sentar lado a lado com outros desenvolvedores para aprender um pouco mais, ou com os novatos para ensinar algo.

Enquanto trabalhei no port do Cantor, fui auxiliado por Daniela e Alana durante a remoção do KDialog. Outro momento legal foi ver a contribuição do Ícaro, Rodrigo e Fernando, adicionando a funcionalidade para automaticamente aumentar o tamanho das bolas no Kollision – precisamos entregar isso aos usuários!

“O que você acha dessa linha?”

E claro, tivemos um encontro de promo para discutir as atividades do KDE no Brasil para esse ano. Quem quiser ver nossas ações e propostas, basta dar uma olhada no quadro do KDE Brasil no kanboard.

Promo Promo Promo Promo Promo Promo

Agora é o momento de espalhar a mensagem do KDE nos eventos brasileiros de software livre – e esse trabalho já começou semanas atrás durante o FISL.

Finalizando, obrigado Sandro por ter organizado o LaKademy 2015 e por toda sua dedicação ao KDE Brasil. Gostaria de agradecer também a todos que contribuíram com o crowdfunding do LaKademy 2015 e ao KDE e.V. – vocês fizeram o evento acontecer! Obrigado também ao Aleix Pol por revisar minhas contribuições de código! =)

E obrigado Salvador por ser essa cidade maravilhosa e sua culinária espetacular! =D

Somos uma família feliz!

“Contribuindo com Grandes Projetos de Software Livre”, no Teresina Hacker Clube

filipe-thc

Quem estiver em Teresina por esses dias apareça na sede do Teresina Hacker Clube para batermos um papo não apenas sobre contribuições com projetos de software livre mas sobre contribuições para grandes comunidades internacionais! Segue o chamado e nos vemos lá! 😉

Amanhã (25/7) às 14h30 teremos o prazer de receber em nosso hackerspace um contribuidor em várias comunidades de software livre: o pesquisador Filipe Saraiva.

Faremos um bate papo sobre os principais motivos para contribuir com grandes projetos de software livre, mostrando na prática o que é uma comunidade internacional que trabalha em conjunto na construção de software de qualidade e responder questões do tipo: Qual a diferença entre contribuir com projetos e distribuições? Quais os principais passos para começar a colaborar? Por que eu faria isso?

Filipe Saraiva é doutorando em engenharia elétrica pela USP – Universidade de São Paulo, bacharel em ciência da computação pela UFPI. Ativista do software livre com participação em várias comunidades, em especial como desenvolvedor no KDE, membro do KDE e.V., e empacotador no Mageia.

A apresentação servirá para os mais diferentes projetos, mas os exemplos práticos demonstrados utilizarão o projeto da comunidade KDE.

Apareça!

LaKademy 2015: Returning to the beginning

ArteLakademy2015_0

Exactly five years I came to Salvador to attend my first KDE event. It was the debut of Akademy-BR and my debut as a community contributor. At the time, I was already using KDE for 3 years but I had not contributed to the community of software that I always liked. It was the perfect time to start! :)

Me, younger, thinner and a padawan :)

Me at the Akademy-BR 2010, younger, thinner and a padawan :)

Since then I never stopped. I was increasingly strengthening the ties with the community and dedicating part of my time to it. I became part of the translation team. And I became also (inevitably) part of the promo team, presenting talks, participating in many events such as KDE representative. Lately I have also worked with artwork, producing promotional material for the events we participate in and the events we organize. This LaKademy art, for example, was made by me :)

Well, but let’s talk about the event itself!

This Lakademy I dedicated myself to work with the translation of Plasma 5, the Techbase wiki and some KDE texts. Once the translation of Plasma 5 is almost complete, I did not have much work to be done, only some Gcompris strings still needed translation. The Techbase wiki is being updated since much there still refers to the Plasma 4 and we are already porting everything for the Plasma 5. So, I did not translate many pages because I did not want spend my time with things that are (or will be soon) obsolete.

I also committed myself to do some promotional material for the FISL, an event that we will participate in July, with a KDE stand selling gifts and doing activities on the community. I started doing some arts for t-shirts, stickers and coffee cups, but I not yet finalized it. Well, I’m not exactly a designer, right? :) But I do my best.

LaKademy 2015 group photo

LaKademy 2015 group photo

I also took the opportunity of the event to migrate some things from our old wiki, which we no longer use, to our new site. There were many translation tutorials on the old wiki in our translation team page that were outdated and had some obsolete parts. I migrated all of these tutorials for the new site, I created a new page for our team and I deleted many obsolete things about KBabel and KDE 3 that were in these tutorials. The idea is to turn off this old wiki after migrate the contents that have not yet been migrated. Basically is just missing the history of our events, I did not have time to migrate during LaKademy.

In addition to this migration work, I also created some new pages on our website. I translated the KDE manifesto and I created a page for it in pt_BR, as well as the KDE Community Code of Conduct.

Well, besides, I mentored some people that appeared during the event interested in using and contributing to KDE. Some of them were interested in the translation work and I explained how it was the translation process and how our community worked. I hope that this event will bring us new contributors :)

Photos of the event can be seen here.

I would like to thank the support of KDE e.V. that once again believed in us and in our event. I would also like to thank immensely for all donors of our fundraising campaign for the LaKademy. You were very important in this process! :)

LaKademy 2015: Returning to the beginning

ArteLakademy2015_0

Exactly five years I came to Salvador to attend my first KDE event. It was the debut of Akademy-BR and my debut as a community contributor. At the time, I was already using KDE for 3 years but I had not contributed to the community of software that I always liked. It was the perfect time to start! :)

Me, younger, thinner and a padawan :)

Me at the Akademy-BR 2010, younger, thinner and a padawan :)

Since then I never stopped. I was increasingly strengthening the ties with the community and dedicating part of my time to it. I became part of the translation team. And I became also (inevitably) part of the promo team, presenting talks, participating in many events such as KDE representative. Lately I have also worked with artwork, producing promotional material for the events we participate in and the events we organize. This LaKademy art, for example, was made by me :)

Well, but let’s talk about the event itself!

This Lakademy I dedicated myself to work with the translation of Plasma 5, the Techbase wiki and some KDE texts. Once the translation of Plasma 5 is almost complete, I did not have much work to be done, only some Gcompris strings still needed translation. The Techbase wiki is being updated since much there still refers to the Plasma 4 and we are already porting everything for the Plasma 5. So, I did not translate many pages because I did not want spend my time with things that are (or will be soon) obsolete.

I also committed myself to do some promotional material for the FISL, an event that we will participate in July, with a KDE stand selling gifts and doing activities on the community. I started doing some arts for t-shirts, stickers and coffee cups, but I not yet finalized it. Well, I’m not exactly a designer, right? :) But I do my best.

LaKademy 2015 group photo

LaKademy 2015 group photo

I also took the opportunity of the event to migrate some things from our old wiki, which we no longer use, to our new site. There were many translation tutorials on the old wiki in our translation team page that were outdated and had some obsolete parts. I migrated all of these tutorials for the new site, I created a new page for our team and I deleted many obsolete things about KBabel and KDE 3 that were in these tutorials. The idea is to turn off this old wiki after migrate the contents that have not yet been migrated. Basically is just missing the history of our events, I did not have time to migrate during LaKademy.

In addition to this migration work, I also created some new pages on our website. I translated the KDE manifesto and I created a page for it in pt_BR, as well as the KDE Community Code of Conduct.

Well, besides, I mentored some people that appeared during the event interested in using and contributing to KDE. Some of them were interested in the translation work and I explained how it was the translation process and how our community worked. I hope that this event will bring us new contributors :)

Photos of the event can be seen here.

I would like to thank the support of KDE e.V. that once again believed in us and in our event. I would also like to thank immensely for all donors of our fundraising campaign for the LaKademy. You were very important in this process! :)